Saúde do Homem

Incontinência Urinária


O que é?

Em termos clínicos, a incontinência urinária (IU) é quando a uretra acaba liberando a urina de forma involuntária, tanto em quantidades grandes e incontroláveis, como também em um volume bem pequeno.

A condição é comum a mulheres e homens, se tornando mais frequente com o passar dos anos, já que os músculos pélvicos, que sustentam órgãos como a uretra e a bexiga, acabam perdendo força, causando assim a incontinência urinária em idosos.

Fatores de Risco


Idade

A probabilidade de desenvolver a incontinência urinária aumenta com a idade, sendo mais comum em pessoas mais velhas, por conta da perda de força dos músculos da região pélvica.

Resultados de Cirurgias

Casos como a prostatectomia radical (cirurgia de remoção total da próstata) podem causar algumas sequelas, como a incontinência urinária, por exemplo.

Obesidade

Ao causar o aumento da pressão intra-abdominal, que pode comprimir a bexiga e outros órgãos da região pélvica, a obesidade também pode influenciar no desenvolvimento da incontinência urinária.

Outras Doenças

Infecções urinárias, insuficiência cardíaca e diabetes mellitus também podem influenciar ou agravar o quadro de incontinência urinária.

Bexiga Hiperativa

Pessoas que sentem uma necessidade urgente de urinar (urgência), além de terem dificuldade de controlar a micção, são mais propensas a desenvolverem incontinência urinária de urgência.

Constipação Constante

Como a bexiga e o intestino compartilham as mesmas conexões nervosas, a constipação pode influenciar negativamente o funcionamento da bexiga.

Tabagismo

Fumar pode causar doenças pulmonares que, ao gerarem tosses fortes, podem piorar o quadro de incontinência urinária.

Prevenção


Para prevenir a incontinência urinária, alguns hábitos podem ser incluídos no seu dia a dia.
Veja a seguir alguns deles:

  • - Evite consumir grandes quantidades de bebidas alcoólicas e com cafeína
  • - Controle o diabetes e o peso corporal
  • - Pare de fumar
  • - Mantenha uma alimentação saudável e com bastante fibras
  • - Pratique atividades físicas com frequência
  • - Regule os intervalos entre as idas ao banheiro
  • - Procure seu médico para mais informações

Além disso, você pode praticar alguns exercícios para fortalecer os músculos do assoalho pélvico.

Clique aqui e acesse a página para ver cada exercício com mais detalhes.

Diagnósticos e Exames


Para diagnosticar a incontinência urinária, é essencial procurar avaliação médica. É ele que irá pedir os exames necessários para comprovar a condição e para orientar o seu tratamento.

Alguns dos exames que podem ser pedidos pelo seu médico são o de urina, que poderá detectar eventuais anormalidades, como uma infecção, além da medição do resíduo pósmiccional, que mede a quantidade de urina restante na bexiga.

Além desses, o médico poderá solicitar exames complementares, como ultrassom abdominal e pélvico, cistoscopia, cistografia e até mesmo um exame urodinâmico completo, para avaliar todo o processo de produção e eliminação da urina.

Para facilitar o diagnóstico da doença, lembre-se: prepare uma lista de todos os sintomas, histórico médico e também os últimos exames realizados e medicamentos de uso contínuo, se for o caso.

Perguntas Frequentes


Se eu tiver incontinência urinária, o problema permanecerá?

Depende da situação. Há casos da condição relacionados a distúrbios psicológicos, dificuldade de locomoção ou ingestão excessiva de líquidos. Para saber mais, procure um médico.

É possível controlar a incontinência urinária com exercícios?

Sim. Existem exercícios desenvolvidos para fortalecer a musculatura pélvica, que podem auxiliar no controle da doença. Confira alguns deles clicando aqui.

Após a cirurgia de próstata, posso apresentar incontinência urinária?

Sim, é possível que a prostatectomia radical (retirada da próstata) cause efeitos colaterais, como a incontinência urinária, que se manifesta em níveis diferentes, de acordo com a realidade de cada paciente. Consulte seu médico para mais orientações.

Existem medidas que podem auxiliar no controle da incontinência urinária?

Sim. Além dos exercícios citados acima, outras medidas podem ser adotadas no dia a dia, como evitar diuréticos ou o consumo exagerado de líquidos, além do uso de determinados remédios.


Voltar ao topo